3/2019 Depois da dor

O rosto sereno reflete um dia ordinário

café, trabalho, almoço, trabalho, descanso.

mergulha-se no rotineiro quando a mente está em paz.

quem já sofreu na alma sabe:

até conversa corriqueira vira esforço voraz.

 

Seguindo o bordão, eu também repito:

“Lembro-me do dia em que orei pelo que tenho hoje”

Não falo de coisas, nem de experiências

falo de paz. Sim, eu tenho paz.

 

A mente agitada deu lugar à contemplação

Os pássaros e as cores me divertem

Os vejo e penso que, por hoje,

valeu a pena viver.

 

Minhas memórias não me ferem mais

elas foram remediadas dando lugar a novos ideais.

Às vezes serei vulnerável, não tenho opção

A caminhada é mais palpável quando entendo minha condição.

 

Não vivo à mercê do vivido

Olha as cicatrizes como memorial:

“O lugar da quebra e de ser polido”

Falo com graça, não mais sentindo fel

Posso até rir sozinho dizendo:

“Hoje a minha vitória tem sabor de mel” rs

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close