As coisas são só coisas

Guarda, segura, alerta, aperta, pois o amanhã vem.

Repensa, suporta, se importa, poupa, prepara-te, pois o amanhã vem.

Planeja, estuda, não para, caminha, sacrifica-te, pois o amanhã vem.

Mas…

Brinca, dança, come, canta, gasta, ama, porque, talvez, ele não vem.

Desfruta, abraça, se lambuza, alegra-te, ri – de ti e dos outros, com amor – porque, talvez, ele não vem.

E, então, acaba-se a vida, pequena e cinza, sem se ter beijado pai, mãe e irmão…

Acaba-se a vida sem sentar pra ler um livro como criança e tomar sorvete com os primos…

Acaba-se a vida sem provar do beijo e abraço do broto que se amou…

Acaba-se também esse dia. E ele se acabará. Só não se acabe, porque no espaço de viver e amar e sonhar e beijar e desfrutar, você nunca se acaba.

Publicado por Lívia Castro de Almeida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close